sábado, 24 de setembro de 2011

MULHERES SATISFEITAS (NA CAMA)!


por Tais R. Splendore* e Aurelio Martuscelli Neto** 

Deixar uma mulher satisfeita na cama é uma arte, que precisa ser entendida e desenvolvida desde cedo pelos jovens e, em muitos casos, reaprendida pelos mais maduros. Não é ao acaso que nos dias de hoje há tantos relatos de traições e de depoimentos de mulheres insatisfeitas sexualmente com os seus parceiros, sejam eles: namorados, maridos, amantes ou ficantes.

A falta de conhecimento do corpo feminino, associada a tabus e preconceitos, além do machismo a que os garotos são expostos desde tenra idade pelos seus pais, amigos e ambiente escolar evidencia-se, quando esses mesmos garotos têm a sua frente sua primeira transa, sua primeira experiência sexual a dois, e onde têm que provar que é o macho da espécie. A tendência de uma transa "meia-boca" é bastante comum. Só que a maioria das mulheres não falava nada antes, agora... elas querem orgasmos, um justo prazer que estava somente reservados aos homens. 

Esse é o assunto principal dessa postagem: como deixar uma mulher satisfeita na cama, como agradar uma mulher no sexo, como dar mais prazer à sua namorada ou mulher. Como fazer sua mulher ter muitos orgasmos.

Preliminares

Conhecidas por esse nome, é a fase que antecede à penetração do pênis na vagina, o momento da preparação dos corpos, o conhecimento das áreas mais reagentes aos estímulos. Curtir esse momento pode ser mais gratificante do que o próprio orgasmo em si, visto que depois do orgasmo acaba, pelo menos temporariamente, o desejo, o tesão. Nas preliminares isso não acontece, é o momento das brincadeiras, dos toques, da boca, da língua, enfim, é o corpo todo que reage durante as preliminares. É durante essa fase que os amantes reconhecem os cheiros, a pele e a química de seus parceiros sexuais. Portanto, muita atenção às preliminares.

Usando as mãos, a boca e a língua


Os beijos são o mais interessante caminho do sexo, o seu cartão de visitas. Capriche, experimentando alternar beijos de língua, movimentando-a dentro da boca de sua parceira, e nos cantinhos dos lábios. Beije-a na nuca, alternando com lambidinhas nesse local erógeno, ora colocando a língua dentro da orelha dela, ora passando-a em todo a região do pescoço.

As mulheres adoram um carinho na nuca, passe um bom tempo aí.
O Mapa da Mina

Continuando com os beijos e a língua, dessa vez descendo pelo corpo dela, indo e vindo, sem pressa, para baixo um pouquinho, para cima novamente. Alterne beijinhos molhados com lambidinhas rápidas e demoradas, arrisque umas mordidinhas de leve. Enquanto está com os beijinhos e lambidinhas, utilize suas mãos para acariciar outros lugares do corpo dela. Experimente fazer carinho nas costas dela com suas mãos, alizando-a, apertando-a suavemente.

Fique atento aos sinais de aprovação e desaprovação por parte dela. Note que esses sinais são feitos pelo corpo da parceira. Se você estiver agradando, ela vai oferecendo a você mais áreas onde gosta de ser tocada.
Os seios são extremamente sensíveis ao toque das mãos, boca e língua. Comece pelas laterias, beije-os com vontade, mas sem colocar força nas mordidinhas. Lamba-os como se fossem um delicioso sorvete, pressionando seus lábios contra os mamilos (bicos dos seios), e depois lambendo-os. Os bicos dos seios são, invariavelmente, uma zona erógena de alto impacto, por isso, depois de se assegurar de que ela está gostando e aprovando, trabalhe os seios e mamilos como um explorador, sem pressa, deixando-a toda lambuzadinha.

Descendo a Serra

Continue trabalhando com a boca e a língua, descendo em direção ao umbigo da garota, enquanto suas mãos já procuram pelas partes mais embaixo, sem pressa, num vai e vem que a deixe ansiosa pelo contato com sua vagina. Mas ainda não chegue lá. Deixe ela demonstrar uma certa impaciência. Note quando ela esticar seu corpo na direção de suas mãos ou boca, ainda assim, não chegue lá, volte um pouco para a região do umbigo, ou desça para a região da pelvis, beijando, lambendo e usando suas mãos como "batedoras", aquelas que vão na frente da patrulha.
A um passo do paraíso

Use agora suas mãos com mais atenção, passando-as pelas coxas dela, principalmente nas partes internas dessas, é uma zona de alto impacto. Provavelmente, ela irá se ajeitar para que você a toque na vagina, mas você ainda não "quer" fazer isso, você quer judiar dela, não é? Pois bem, passe uma das mãos nas nádegas dela, contornando todo esse maravilhoso parque de diversões. Aperte os glúte-os, como se estivesse testando sua resistência, mas sem muita força. 

Passe levemente seus dedos na junção das nádegas, com o dedo indicador e o dedo médio (aquele do "fuck you") nesse local, é extremamente excitante para ambos. Não se esqueça de intercalar sua boca por toda a extensão já percorrida anteriormente, esse passeio de volta é fundamental para o aquecimento da sua parceira. Tampouco, esqueça dos beijinhos e beijões na boca dela, não vá esquecer a dona desse corpo...

Templo de Vênus, o tesouro proibido
 
Use agora sua mão direita, caso seja destro, e com a palma dela toque seus pelos pubianos, insinuando uma descida, mas sem chegar ainda lá, fique um pouco nessa rotina, enchendo-a de beijinhos e beijões sua boquinha linda e ávida. Chegou o momento esperado pelos amantes! Toque-a, sinta o seu calor, e com leveza passe o dedo indicador e o médio sobre a abertura vaginal, em toda a sua extensão. Fique atento aos movimentos do corpo dela, os gemidinhos, a respiração mais ofegante...

Introduza suavemente o dedo médio em sua vagina, procurando explorar o clitóris (é um tipo de nervo mais destacado, que fica próximo ao início da abertura da vagina, entre os grandes lábios vaginais. Ao descobrí-lo, você notará a reação dela, então acaricie esse local, agora com a introdução do dedo indicador, como se estivesse pegando nesse "botãozinho". Se ela não estiver molhadinha, o que é difícil, você pode, disfarçadamente (ou não), umidecer seus dedos levando-os à sua boca.

Faça esses movimentos circulares com os dois dedos, ora apertando suavemente, ora deslizando sobre esse ponto chave. Agora, num gesto mais audacioso, retire sua mão daí, e coloque sua cara. Gestos surpreendentes tendem a gerar mais prazer. Faça todo o ritual com sua boca, mais ou menos o mesmo que fez em relação aos seios dela. Sugue generosamente toda a região da vagina, não disperdiçe nenhum espaço sequer, pois nessa região toda a terminação nervosa da mulher é extremamente sensível ao toque. Explore as cavidades, use beijinhos externos e mais internos, aprofundando sua língua, e voltando para a superfície.

Agora, procure com a língua o clitóris dela. Achado, beije e lamba com vontade esse botaõzinho do amor, indo e voltando, até que ela chegue ao orgasmo, ou peça para que você a penetre.
Use, abuse e lambuze, mas sempre de olho nas reações dela, porque algumas mulheres podem ter supersensibilidade em seus clítoris e, nesse caso, toda a ação deve ser mais contida, com seu tempo mais curto.

Procurando o Céu

Chegou o momento de penetrá-la, e agora é por conta do seu melhor amigo, que deve estar louco de vontade de participar dessa deliciosa brincadeira. Deite-se de costas para o colchão, ou chão, ou banco... Coloque ela sobre você - se é que ela já não está -, vá colocando seu´pênis lentamente, como nas dicas anteriores. Nada de pressa para colocar tudo, ou forçar a barra para mostrar serviço. As coisas mais caprichadas são muito mais prazeirosas.
Com pelo menos metade do pênis dentro da vagina, comecem com os movimentos de vai e vem, explorando movimentos com sua bacia para os lados (isso excita mais áreas interiores da vagina). Vai e vem, colocando tudo, voltando à metade. Retire totalmente o pênis, depois de alguns minutos, ou sempre que sentir que vai ejacular, mudando de posição, como se fosse um grande conhecedor do assunto. Pegue por trás, pedindo que ela fique de quatro na cama. Dê mais uns beijinhos nela, volte a tocá-la com sua língua no seu clitóris, por que essa posição favorece o sexo oral, além do que você demonstra que quer agradá-la de fato.

O vulcão entra em atividade

Então, por trás dela, comece a cavalgá-la, colocando sua mão por sobre o corpo dela até atingir o clitóris com a ponta dos dedos. Com seu membro dentro dela, essa atividade pode levá-la à loucura. Entregue-se ao prazer, sem maiores cautelas agora, faça o que tem vontade. Se perceber que vai ejacular, cole sua boca perto do ouvido dela e a chame para gozar junto. Isso é extremamente prazeroso, e ela vai acompanhá-lo em seu clímax.


E, depois do sexo...

Mais carinho, dessa vez com base na gratidão, como que um agradecendo ao outro pelo marailhoso momento que viveram juntos. Por falar nisso... fique coladinho ao corpo dela, porque daqui a pouquinho começa tudo de novo. Aí, é só variar aqui e acolá, e quem sabe nessa seção você seja premiado com um delicioso sexo oral. Prazer é isso, dar e receber. E nada melhor do que agradecer, com mais prazer, quem te levou ao paraíso.

Lembrete importante aos homens: sexo é doação! Quando fizer sexo, doe-se totalmente à parceira, doe seu corpo ao prazer.

Dicas sempre atuais: Use sempre camisinha. Existem modelos super fininhos, que visam não tirar o prazer do toque. Respeite-se, respeite-a, respeite a vida.

Texto dirigido a jovens e maduros que querem mais qualidade de vida no sexo, e têm a humildade de sempre querer estar atualizados.


Título Original:

Como se dar bem com as mulheres na cama - Dicas de Dom Juan


Autores: 

Tais R. Splendore* - especialista em sexologia e comportamento do casal, atua nos EUA e escreve em jornais e blogs.
Aurelio Martuscelli Neto* - estudioso em sexologia, consultor em dependência química e blogueiro. 

Fonte: Blog Namoro na Boa.......... (RECOMENDADO)
http://namoronaboa.blogspot.com/2011/01/como-se-dar-bem-com-as-mulheres-na-cama.html

Fotos do corpo do texto: capturadas na Internet e não fazem parte do texto original.

Por que os Homens Gostam de Fazer Sexo com Mais de Uma Mulher?


Por  Wilzen Olinda (O Manual dos Sexos)
 
Essa relação é cultural, e tem haver com o significado que este tipo de relacionamento tinha para nossos antepassados. Em primeiro lugar, estamos falando aqui de poder, e não de prazer. O prazer quando entendimento friamente se reduz a sensação, que não tem uma configuração específica, ou seja, o prazer não acontece da forma A, B ou C, mas existe quando o que acontece conosco é suficiente para nos dar a sensação de bem estar. Em outras palavras o prazer não está na forma, mas expectativa dela.

De acordo com esse pensamento, podemos entender que fazer sexo com duas mulheres não tem nada haver com prazer, pois se assim fosse, nunca seríamos satisfeitos com apenas uma mulher, e sempre procuraríamos duas ou mais mulheres para ter relações sexuais (lembrando que estamos falando de sexo ao mesmo tempo, uma de cada vez é outro assunto...). O que podemos compreender é que a relação sexual com duas mulheres nos dá uma sensação maior da satisfação das expectativas que criamos, no entanto esta sensação não significa maior prazer, mas sim uma satisfação maior de um desejo.

Mas o desejo não é prazer? Não! O desejo é uma expectativa criada de acordo com os estímulos que nos recebemos ao longo da vida. Uma pessoa pode, por exemplo, ter desejo de fazer sexo com uma mulher asiática, isso aumentará seu prazer? Não, porém, satisfará seu desejo culturalmente concebido. Isto é, o prazer é um, ele não muda, mas a expectativa em torno dele é que aumenta ou diminui conforme aquilo que projetamos como desejo, e vai se tornando alcançado por nós.

Portanto, posso dizer que os homens que desejam fazer sexo com duas ou mais mulheres, querem não por aumentar seu prazer, mas por satisfazerem suas expectativas de prazer, não o prazer propriamente. No entanto, essas expectativas, quando vistas na história, nos levam a pensar que são, muito mais, frutos de uma concepção cultural de poder e status social, pois o homem tinha (tem?) no seu relacionamento uma maneira de demonstrar domínio e poder, isto é, quanto mais mulheres de relacionasse maior também seria o seu “domínio e poder”. Será que não encontramos paralelo nos dias atuais? Basta ouvir o que os homens falam quando fazem sexo com mais de uma mulher... “peguei duas, três, quatro”. Pior mesmo é achar que ele deu conta de todas. Será?

Abraço e até a próxima...

Por| Wilzen Olinda
Fonte: http://www.omanualdossexos.com/2011/09/por-que-os-homens-gostam-de-fazer-sexo.html (BLOG RECOMENDADO)

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O PROBLEMA DO SEXO MAL FEITO

Artigo bem legal da escritora afro-lusitana Max Coutinho do site "Etnias - O Bísturi da Sociedade". Na íntegra!

Sexo Mal Feito

Serei directa e breve...

O sexo é uma coisa maravilhosa. Quando feito com amor torna-se divino.
 
Dois corpos interlaçados na paixão; o xaile do amor santifica o acto abençoado; as energias fluem; os fluídos prometem vida; o cadeado que tranca um casal apaixonado para sempre.

Mas depois temos o sexo pelo sexo. Um acto baseado no prazer pelo prazer; feito de forma irresponsável e manuseado como se de uma mercadoria se tratasse.
 
Dois corpos interlaçados na luxúria; o xaile do hedonismo profana aquilo que deveria ser um acto sagrado; as energias fluem: os fluídos prometem morte; o cadeado que liga um penis a uma vagina não tranca nada.

As pessoas usam o sexo para se diminuirem e humilharem.
 
Quando alguém usa o sexo para arranjar um trabalho, para ser promovido ou subir na escala social, esse indivíduo afirma, não só ao mundo, mas principalmente a si mesmo que é incapaz de encontrar um trabalho através do seu mérito intelectual; de ser promovido devido à sua criatividade, inteligência e trabalho; e/ou subir na escala social através do respeito merecido (fruto de uma conduta honrada [sim, porque dinheiro, por si só, não conta em certos círculos sociais: o modo como uma pessoa se comporta é muitíssimo importante]).

Um ser humano que use o sexo desta maneira reconhece que não se respeita e não tem muita consideração por si mesmo.

Por outro lado, não terá este ser humano o direito de fazer o que quiser com o seu corpo? A primeira resposta que me vem à cabeça é: sim, tem. Mas depois penso para comigo que embora tenha esse direito, isso não quer dizer que seja correcto.
 
Exploremos este pensamento: duas pessoas trabalham numa companhia (ou numa qualquer outra instituição) e a pessoa A é dinâmica, extremamente criativa, investe imensas horas no trabalho, sabe trabalhar em equipa, é um líder natural, é a menina dos olhos de qualquer empresa; a pessoa B é um trabalhador normal, criativo o suficiente, trabalha das 9 às 5, tem dificuldades em lidar com os outros, é praticamente um trabalhador mediano. Quando chega a hora de promover um deles, a pessoa B é a escolhida.
 
(N.B: Pessoa B dorme com o Presidente da empresa).

Pergunto: o que se passará na cabeça deste tipo de gente? Quando olham para o coitado do colega competente que não foi promovido por ser honesto, será que pensam "És um(a) idiota. Deverias ter dormido com a/o chefe antes de mim: mas ainda bem que não o fizeste"?
 
O que é que a sua consciência produz antes de dormir? Se é que é dotado de consciência...
 
Sexo negativo suplanta o bom senso e a sensibilidade.

Imagem: Detalhe de Apolo & Daphne de Gian Lorenzo Bernini

Fonte:  http://max-etnias.blogspot.com/2009/10/sexo-mal-feito.html (RECOMENDADO)

Foto: hdebarbamalfeita.blogspot.com

A HISTÓRIA DO POLE DANCE

por Renata Wilke
do Pole Dance Brasil


As origens do Pole Dance vêm da prática do Mallakhamb ( que significa “homen de força” ou “ginástica do poste”), que nada mais é do que yoga praticada em um poste de madeira e com cordas (principalmente praticado na Índia) e existe desde o século XII, no entanto, como disciplina esportiva existe a aproximadamente 250 anos. Uma outra disciplina, que está diretamente relacionada com o pole dance de hoje, é conhecida como Mallastambha (que significa “ginástica do pilar”), técnica usada pelos antigos lutadores de wrestling para ganhar força e desenvolver os músculos.O mallastambha não é mais praticado nos dias de hoje. O Mallakhamba do poste (pole) ainda é praticado por homens e meninos e o Mallakhamba da corda é praticado por mulheres e meninas. 
 O Pole Dance, como conhecemos hoje, se originou durante os anos 20, no ápice da Grande Depressão Americana. Tour Fair Shows ( que se originaram do negócio dos tours de circo) viajavam de cidade à cidade divertindo as multidões. Como parte do espetáculo principal, também existiam outros shows paralelos em tendas pequenas ao redor da tenda do circo principal. Uma dessas tendas famosas era conhecida como o show erótico das dançarinas Hoochi Coochi. A palavra Hoochi Coochi se originou do movimento que as dançarinas faziam com o quadril. As garotas dançavam sugestivamente em um palco pequeno em frente às multidões de assovios. Por causa do tamanho das tendas, o poste que segurava a tenda ficava bem na beirada dos pequenos palcos e as dançarinas começaram a se aproximar dos postes e dançar com eles.

Hoochi Coochi Dancer
Gypsy Rose Lee 

O poste das pequenas tendas tornou-se conhecido como o poste de dança que ainda existe hoje, no entanto, de uma forma mais tecnicamente e socialmente aceitável.
 
O estilo Burlesque se originou no início da era Vitoriana (1840) e é um estilo que esta relativamente ligado à Comédia dell’arte (onde os personangens principais carregavam um “burle” – um bastão com a ponta almofadada – que era usado para bater nos outros personagens com uma finalidade cômica (origem da comédia “slapstick”). A Comédia dell’arte foi a fonte para quase tudo que se vê hoje em entretenimento (como ballet, marionettes, ópera, teatro o tableau erótico, a mímica entre outros). O famoso Moulin Rouge em Paris (desde 1889) teve uma função essencial na disseminação do estilo buslesque sensual e no desenvolvimento da indústria erótica que contava com performances de artistas que vinham de todos os cantos do mundo para dançar no Moulin Rouge e ganhar a vida.
 
(Parte II) – O pole dance se desenvolveu gradualmente desde as tendas de circo até os bares como o estilo burlesque nos anos 50. O primeiro registro de pole dance como conhecemos hoje, foi em 1968 com a performance de Belle Jangles no clube de striptease Mugwump, em Oregon e o pole dance moderno começou a ser documentado somente à partir dos anos 80 no Canadá.
 
Entre os anos 60 e 70 muito pouco aconteceu em relação ao pole dance e pouco se documentou até os anos 80 quando striptease e poledancing se tornaram populares no Canadá e nos Estados Unidos.

Existe evidências de que, com o tempo, outros estilos de dança (alguns com raízes bem mais imorais que o pole dance) passaram por dificuldades para obter o reconhecimento e respeito que mereciam. Antes de ser abertamente reconhecidos, estilos de dança como o ballet, a salsa, o tango, e especialmente a famosa dança do ventre, eram danças com fundamentos na sexualidade e na luxúria e também sofreram enorme ceticismo durante anos.
 
A história do Ballet revela que, a princípio, mulheres não eram permitidas de dançar, mesmo que muitas escrituras mais recentes negam este fato. O tango nasceu na França e se desenvolveu na Argentina, através de uma maneira de auto-expressão de rebeldia e se originou nos bordéis de Buenos Aires.

Os anos 90 testemunharam Fawnia (Canadense) praticando o pole dancing e trazendo a realidade para as mulheres comuns que começaram a aprender a modalidade como uma maneira de manter a forma. Fawnia produziu o primeiro DVD com instruções de pole fitness e dança.

A partir do ano 2000, o pole dance se desenvolveu em gêneros diversos, do exótico ao pole fitness evoluído em 2006, que permitiu as mulheres comuns a utilizarem-se da técnica dentro das suas rotinas diárias de fitness. Na verdade, um número relevante de mulheres que praticam o pole dance como fitness, possuem poles dentro de casa para tal.

Mais recentemente, o Cirque du Solei passou a utilizar performances baseadas nos poles chineses. Inspirado no Cirque du Soleil, homens também começaram a utilizar a técnica dos pole chineses e possuem números acrobáticos em shows pelo mundo. Assim como o Mallakhamb e o Pole Dance, os poles chineses também se utilizam do atrito entre pele e equipamento.

 
Levando em consideração que a mentalidade e atitude das pessoas em relação ao pole dance já começou a mudar, mesmo quando se referem ao pole dance como pole fitness, ainda existe uma relutância em relação ao público em geral em aceitar o pole dance como uma atividade física ou esportiva.

O pole dance de hoje constitui uma modalidade de exercício físico e dança que envolve o dançar com e ao redor de uma barra de metal polido. Essa modalidade incorpora movimentos de ginástica olímpica, movimentos livres, ballet e dança contemporânea em dimensões diferentes que incluem, posições estáticas e em movimento usando a barra e fora da barra. A atividade do pole dance desenvolve a força dos membros superiores e inferiores do corpo e das costas / área abdominal e firma todos os músculos do corpo utilizando o próprio corpo como resistência.

Competições: Mesmo que a maioria das competições de pole dance pelo mundo ainda estão em um momento de estruturação e profissionalização, existe uma comunidade mundial lutando por conquistar o reconhecimento do pole dance como esporte e uma forma artística de dança. As competições de Pole Dance estão procurando se distanciar dos shows amadores de dança em casas de striptease. Estes eventos estão sendo regularizados com regras restritas de vestimenta adequada e focadas no atletismo e no fator artístico das coreografias ao invés do erotismo e da sexualidade.

 
Pesquisa e Tradução: Ligia Parizzi
Fonte: http://www.poledancebrasil.com.br/pole-dance-a-historia/
Fonte original do texto está aqui.

Fotos: capturadas da Internet, não estão no texto original.

FOTOGRAFIA: TESÃO GLOBALIZADO




Fonte: Capturado do Blog Escrevendo na Pele (RECOMENDADÍSSIMO)
http://escrevendonapele.blogspot.com/

MASSAGEM A 4 MÃOS PRODUZ VISÕES ONÍRICAS


A "Massages Four Hands", ou Massagem a 4 Mãos, é um tipo de terapia corporal relaxante e anti-estresse (mental e muscular) praticada em geral - pela maior eficácia - por quatros mãos. Isso mesmo, dois terapeutas em absoluta sinergia entre si, tanto nos toques quanto nos objetivos do trabalho, massageiam um paciente por toda extensão do corpo produzindo sensações literalmente oníricas em quem a recebe. Nesse tipo de massagem, não como regra,recomenda-se que os dois terapeutas sejam de sexos opostos para que os polos feminino e masculino da energização se compelementem.

A massagem a 4 mãos não é novidade, existe desde de a Antiguidade, mas é uma prática muito utilizada pela brilhante equipe do terapeuta italiano Stefano Serra, motivo pelo qual o video escolhido para demonstrá-la aqui foi do acervo de videos de Stefano.

No Brasil também há vários terapeutas e clínicas que oferecem este serviço a um preço acessível em relação ao benefício: de 150 a 300 reais, por uma hora.

Para não ser injusto com algum profissional, prefiro não citar nomes, mas é permitido fazer publicidade nos comentários ou anúncios neste blog se interessar.

A "Dream Massage a 4 mãos", na minha opinião, é a massagem que mais se aproxima da perfeição em tratamentos corporais pois a troca de energia entre terapeutas-paciente, e reciclagem da mesma energia entre terapeuta-terapeuta conduz ao processo que chamamos de sinergia harmônica cadenciada e completa, pois a energia circula entre três corpos para resultar em apenas um, com uma perfeita cadência de movimentos - circulação e pressão - que não torna exaustivo aos terapeutas as manobras que também não são tradicionais, mas variantes nas posturas rítmicas do trabalho.


Se precisar de mais informações entre em contato conosco!

Foto: capturada da Internet.

"Cada manobra, cada pequeno gesto, é ditada pelo coração e espírito, respeito e amor do outro corpo" (Stefano Antonio Serra)

terça-feira, 31 de maio de 2011

O SEGREDO DAS MIL E UMA NOITES: a "depilação iraquiana"

Por  Cláudia Dal Pozzo

Há pouco tempo eu tinha escutado falar de uma técnica de depilação que para  mim  era nova: a depilação iraquiana!  Este tipo de depilação usa uma linha comum para depilar, principalmente a sobrancelha e partes do rosto, como buço e maças… Pois é, em vez de pinça, na depilação iraquiana, como é conheciada a técnica, usa-se um fio de linha, fio comum, e a profissional enrrola entre os dedos a linha, como se estivesse fazendo  tear, permitindo  com que os pelos se enrrolem entre os fios e saiam pela raiz. Através desta técnica, aqueles pelinhos chatos, as famosas  “penugens”  saem completo, ou seja, ela remove muito mais o pelo do que a pinça ou a cera.

A técnica é mais indicada para os pelos do rosto, como buço, face e sobrancelha. O processo além de ser mais rápido do que com pinça ou a cera, faz com que os pelos demorem mais para crescer e ainda os pelos tendem a nascerem em menor quantidade, pois eles são removidos pela raiz.

Após usar a técnica com o fio, a designer até utiliza a pinça, mas somente para dar acabamento ao trabalho, o qual  é mínimo… Outra dúvida que eu sei que vocês devem estar loucas para me perguntarem é quanto a dor!!! Bom, eu não vou mentir, o procedimento dói um pouquinho, mas a pinça também dói.  A diferença entre ambos é que com o fio, a dor é muito mais rápida e não dá tempo de sentir ela… Quanto a gente começa a sentir a dor, ela passa!!! Nem dá tempo de sentir nada!

A técnica apesar de ser nova aqui no Brasil, surgiu na época do antigo império egípcio e até hoje é muito usada nos países do Oriente Médio.  

Eu adorei e super indico! A partir de agora só vou fazer a minha sobrancelha com depilação iraquiana!
  




Após a técnica,  a profissional faz uma massagem com dois bastões geladinhos que “acalmam” o local, dando uma sensação de alívio e frescor… Uma delícia!!!



A minha BBF Ana Luiza, também quis testar a técnica no buço e adorou!


Alguma leitora já testou esta técnica de fazer a sobrancelha com depilação iraquiana? Please, contem para nós a experiência de vocês nos comentários deste post…

Para quem for do RS e quiser testar a depilação, eu indico a profissional Adriana Krieger da Estética Millenium de São Leopoldo (51) 35922058.

PS: sorry pelas fotos gente, mas como eu queria muito falar da técnica para vocês, me obriguei a tirar estas fotos super “intímas” e horríveis (hehehe). Zero produção! Mas espero que vocês entendam… hehehehehhe. A intenção era mostrar e apresentar para vocês a técnica, então as fotos amadoras…  Abafem o caso! 


Fonte:  site CLAFEÉ ACESSÓRIOS
visite: http://www.claffe.com.br/
Título Orginal: DEPILAÇÃO IRAQUINA
Fotos; da autora

DRENAGEM LINFÁTICA CASEIRA

O "non-sense" comportamental ou a Arte de se estragar uma foto...


Nunca se sabe ao certo se quem não tem noção é o fotógrafo ou os fotografados...enfim, algo que podia ser sensual ficou bizarro.

Mas não tem só essa não, tem um amiguinho que tem um monte dessas no blog dele, 

VEJA LÁ

http://barulhodegrilo.blogspot.com/2009/11/como-estragar-uma-foto-16-libido.html

OS DEZ TIPOS DE LIBIDO..


A terapeuta sexual australiana Sandra Pertot é autora do livro "Os dez tipos de libido", que explica como o desejo sexual se manifesta de maneiras diferentes nas pessoas e define quais são os principais perfis. Tanto em homens quanto em mulheres, os tipos "sensual" e "erótico" costumam ser predominantes.

Na obra ela explica como a libido pode afetar um relacionamento e dá dicas para que o casal supere suas incompatibilidades sexuais, procurando alternativas para equilibrar o desejo. Eu ainda não li, mas me parece ser bem interessante.

Descubra qual é o seu perfil:

Sensual – para essas pessoas o sexo é uma parte importante do relacionamento. Ver que o parceiro está satisfeito na cama aumenta ainda mais o prazer e estimula a libido. O orgasmo não costuma ser o mais importante, pois o sexo é a expressão do vínculo emocional e uma forma de reforçar seus sentimentos pelo outro.

Erótico – nesse caso, sexo é quase um hobby. São pessoas que gostam de contos eróticos, brinquedos sexuais e novas experiências na cama. As transas intensas são importantes para a manutenção do relacionamento. Esse perfil gosta de se sentir desejado e costuma investir em práticas como swing ou sexo a três.

Dependente – este perfil não lida bem com a falta de sexo. As relações sexuais são uma forma de aliviar a ansiedade, o que pode colocar uma pressão desnecessária no parceiro, principalmente se ele não tiver um desejo compatível com o seu.

Reativo – quem se enquadra nessa categoria não costuma pensar em sexo se não estiver em uma relação, por isso a vida sexual acaba sendo definida pelo ritmo do outro. Essas pessoas
valorizam mais o envolvimento emocional.

"Por direito" – acham que a sua visão do sexo é a "correta" e não precisam de muita variedade para ficarem satisfeitos. Ao mesmo tempo, criam idéias fantasiosas do que os outros casais fazem na cama, o que pode trazer estresse para o relacionamento.

Vicioso – precisa de novos parceiros para se sentir valorizado. Pode, inclusive, ter uma relação saudável e 'pular a cerca' de vez em quando. Costuma perder o interesse pelo outro após a relação sexual.

Estressado – sente medo de não conseguir satisfazer o parceiro e se cobra quando passa por fases de pouco desejo, pois tem falta de confiança em suas habilidades sexuais.

Desinteressado – caracteriza pessoas que não sentem falta de sexo, mas têm dificuldade de assumir isso. Costumam ter relações sexuais para agradar o parceiro e geralmente nascem com baixa libido (o que pode ser contornado com auxílio médico).

Desconectado – nesse perfil o sexo não é prioridade. Apesar de valorizar a transa, basta aparecerem problemas ou cobranças excessivas para a pessoa esquecer o prazer sexual.

Compulsivo – aqui o sexo não costuma estar ligado a sentimentos. As relações sexuais, em geral, são alimentadas por momentos de ansiedade e tensão emocional. Tendem a gostar de fetiches e sentem dificuldade de excitação se esses fetiches não forem satisfeitos.

Fonte: blog do Arnaldo Greg
Fotos: capturadas na internet

NADA MELHOR DO QUE NÃO FAZER NADA....



Música:Rita Lee

terça-feira, 24 de maio de 2011

A IMPORTÂNCIA DA MASTURBAÇÃO MASCULINA: com manual prático



A masturbação é algo presente na vida de todos os homens. Quando vai fazer sexo pela primeira vez, o homem já tem grande experiência na prática. Apesar de o assunto ser tratado muito mais abertamente do que a masturbação feminina, há certo velo ao falar do ato. Fala-se que o ato faz parte da fase da adolescência.


 Porém mesmo para os “grandinhos”, masturbar-se tem suas vantagens. O ato é praticamente um treino para o sexo. Pode servir para controlar a ejaculação. Um “treino” interessante de se fazer é masturbar-se até chegar perto do momento do orgasmo. Aí o ideal é parar e depois recomeçar tudo novamente.



Existem diversos produtos que ajudam a deixar a masturbação mais gostosa. Os masturbadores são um deles. O legal de experimentar estes produtos é que são feitos em várias “categorias”: simulação de sexo anal, sexo vaginal e sexo oral. Essa diferença acontece devido a própria circunferência do orifício, formato do material de dentro e quantidade de lubrificação que tem cada dos tipos de masturbador.

Claro que a masturbação não substitui o sexo. Mas pode ser usada para melhorar o desempenho sexual ou mesmo para curtir algo diferente. Chamar a parceira para participar da masturbação também é bacana. O uso de óleos e géis ajuda a dar um clima na hora da brincadeira.



Só um detalhe para os homens que tenham uma parceira, saiba a medida de quanto se masturbar. Faça o suficiente para melhorar o seu desempenho, mas cuidado para não exagerar e acabar com toda a sua energia para a hora da transa.











 
VEJAM NO LINK ABAIXO DA FOTO A ÍNTEGRA DO MANUAL DA PUNHETA. BLOG RECOMENDADO



http://maxxxime.blogspot.com/2010/04/manual-da-punheta.html


FONTE: www.sextoysonline.com.br
Fotos; capturadas na internet

quarta-feira, 6 de abril de 2011

HOJE É O DIA MUNDIAL DA ATIVIDADE FÍSICA: pratique sexo!



Sem dúvida nenhuma, fazer sexo é um dos exercícios mais prazerosos e estar com um corpo saudável e em forma é muito bom para aumentar o seu desejo e o seu empenho sexual.

Além disto, você já percebeu que o seu coração trabalha tanto quanto se você estivesse fazendo um exercício puxado e que a sua respiração também fica ofegante? Pois é, se você tem boa flexibilidade, força e resistência muscular, um bom condicionamento aeróbio e uma dose extra de criatividade irá aproveitar muito mais nesta hora.


Como fica o seu coração?

Na excitação:

Grande parte de sangue do corpo vai para a região pélvica. Isto produz a ereção nos homens e a lubrificação da vagina nas mulheres. A pressão arterial e a tensão muscular aumentam progressivamente. O ritmo cardíaco também se eleva de 40 a 70 pulsações por minuto para 90 a 100 pulsações por minuto.

Na penetração:

A respiração se acelera e a pressão ainda aumenta. Os batimentos continuam aumentando.

Durante o orgasmo:

A tensão muscular alcança quase o seu máximo e o batimento cardíaco pode chegar a 190 pulsações por minuto. É lógico que o nível de condicionamento físico da pessoa interfere nestes valores. Não é à toa que já se ouviu casos de enfartos no ato sexual, onde há um trabalho intenso de coração e pulmões, além da parte emocional, muscular etc...

Com todo este trabalho corporal, muitas calorias são gastas, veja abaixo esta tabela de gasto calórico do ato sexual. Na verdade estes números podem variar de acordo com cada organismo, intensidade e tempo de prática.


Exercícios como os aeróbios, os alongamentos, a yoga e a musculação, entre outros podem ajudar a melhorar o seu condicionamento físico e conseqüentemente o seu desempenho sexual. Mas muitos outros fatores como estudos sobre o assunto, criatividade, também favorecem a boa performance.

Por:
Valéria Alvin Igayara de Souza
CREF 7075/ GSP - Especialista em treinamento.

sábado, 2 de abril de 2011

MASSAGEM HAWAIANA: a massagem que faz o corpo "navegar"



Como se estivesse em alto mar. É assim que se sente quem recebe a massagem havaiana ou Lomilomi. Com músicas típicas ao fundo e temperatura ambiente adequada a cada pessoa, o massoterapeuta realiza movimentos ondulares com o antebraço e a base do punho, como se estivesse dançando sobre o corpo do paciente.

Além de um relaxamento profundo dos músculos, através da manipulação dos tecidos e do sistema músculo-esquelético, a massagem havaiana libera os bloqueios e gera energia. Atua também nos sistemas linfático, imunológico, respiratório, digestivo e circulatório, com estímulos que reequilibram e tonificam.

A técnica também promove o retorno venoso e a liberação de toxinas. Em nível mental e emocional, o sistema nervoso central e a consciência são ajustados. Em nível espiritual, a harmonia é conseguida entre o corpo, a mente e a alma.

A tradição A massagem havaiana existe há mais de 2 mil anos. Era usada, inicialmente, na Polinésia e no Havaí como uma forma de iniciação dos adolescentes na fase adulta. Uma espécie de "rito de passagem", a massagem era realizada pelos kahunas ("pajés") das tribos ou aldeias, que treinavam os membros de cada família para que esta tradição fosse transmitida de geração em geração.

Em havaiano, "lomi" significa esfregar, amassar, massagear. Na tradição havaiana, as ervas, plantas medicinais e sal marinho eram utilizados em todos os tratamentos. Pedras quentes e "lomi sticks" (pequeno bastão para massagem) também eram ferramentas comuns. "À primeira vista, o Lomilomi parece ser uma versão polinésia da massagem européia ou clássica, e está baseada no deslizamento e amassamento dos tecidos frouxos (pele, músculos, fáscia, periósteo, entre outros).






Fonte do texto: Massagsita William da Equilibrium Massagens

MAIS INFORMAÇÕES A RESPEITO DA MASSAGEM LOMI LOMI E SUAS VARIAÇÕES LEIA ABAIXO:

Estilos principais de Lomilomi

Nas escolas de massagem havaiana têm dois estilos principais de Lomilomi: Lomilomi dinâmica de Kauai, chamada "Romi Kapa Rere", e Lomilomi Big Island Style de Aunty Margarete Machado que parece ser uma versão polinésia da massagem europeia ou "clássica / sueca". Na tradição havaiana cada ilha tem o seu estilo próprio que eles praticaram a terra (não tem mesa de massagem em Polinesia).

Lomilomi dinâmica e um estilo com abundância de qualidades sutis: às vezes é como uma meditação, silenciosamente, às vezes dinâmico como uma dança de surf nas ondas. Estudantes de vários países aprenderam a técnica Lomilomi dinâmica "Romi Kapa Rere" e a disseminaram no Ocidente com vários nomes ("Romi", "Lomi Lomi", "Kahuna Massage", "Kahuna healing", "Lomi Lomi Nui", "Lomi temple style", "Mauri massage", "Hawaiian Healing", ) e com vários abordagems "terapêuticas".

Acesse: http://www.lomilomi.com.br/lomilomi.htm

domingo, 27 de março de 2011

MARIA.... campeã do BBB11...será!

MICROFISIOTERAPIA; a memória dos tecidos do corpo humano



É uma técnica manual que identifica a causa primaria de uma doença ou sintoma e estimula a auto cura do organismo para que o corpo inicie o processo de eliminação.

Através da micropalpação o fisioterapeuta procura no corpo onde estas memórias se instalaram e então realiza manualmente atos que simulam a agressão e estimulem o corpo a eliminar a doença promovendo a saúde.

Essa agressão primaria, deixou traços (cicatrizes) que atrapalham o funcionamento das células, estes traços ficam guardados na memória do tecido, pois o sistema imunológico não conseguiu eliminar o agressor.

O tratamento pode ser preventivo ou curativo, sendo realizado após uma agressão ou evento que perturbou o individuo para ajudar o corpo a promover a auto cura.

Seus princípios de cura são semelhantes aos da homeopatia, já que ambas seguem duas leis:

1- cura pelo infinitesimal – medicamento diluído, a palpação mínima

2- cura pelo semelhante – o semelhante cura o semelhante.

Não se opõe a medicina de emergência (drogas, cirurgias, etc...). Como esta técnica não age diretamente no sintoma como um remédio de emergência, mas sim em sua causa, ambos são complementares.

Não tem contra-indicação nenhuma, portanto, todos podem se beneficiar.

É indicada para qualquer idade, desde recém nascidos até jovens ou pessoas em idade avançada, portadores ou não de necessidades especiais e trabalha tanto na causa primária de um sintoma como também na prevenção.

Fonte: Dra. Viviane Rocha / www.microfisioterapia.com
Foto: www.gracielycarvalho.com.br

ASSISTA O VÍDEO COM O DR. AFONSO SALGADO, 
PRECURSOR DA MICROFISIOTERAPIA NO BRASIL.


terça-feira, 8 de março de 2011

Perversão Consentida: o aumento do tesão!


A publicação desta matéria neste blog foi proverbial, pois trata de mecanismos voluntários de retardamento em relações sexuais, o que encontra eco na teoria da obra "A ALMA DE ÍSIS" para a prática de atos mágicos através do sexo. Já, as técnicas ensinadas por Victor Lee aparentam uma proximidade filosófica com o tantrismo que não corresponde à realidade deste. Trata-se, sim, de uma bem humorada forma de "apimentar" uma relação íntima que, involuntariamente, por certo, assemelha-se a alguns conceitos tântricos. Já, em relação à Magia Sexual, que perpassa esses conceitos, a liberdade de ação descrita no texto de Lee é mais real e possível de ser utilizada com sucesso uma vez que a "permanência" do sex appeal em situações como as descritas, beneficiam sobremaneira a prática dos sacramentos mágicos, quando já esperados ou agendados.

Boa leitura, e divirta-se!





por   VICTOR LEE 

Quem leu meus textos comentando o "Sex God Method", do Daniel Rose ,ainda deve se lembrar dos três princípios básicos de sexualidade e dos quatro elementos do sexo de qualidade: dominação, emoção, variedade e imersão.

Hoje a conversa é sobre um aspecto de emoção fundamental: saber provocar a mulher. 

E se você esquecer de tudo, pelo menos memorize e entenda esse ritmo: dois passos para frente, um passo para trás. Essa é a fórmula clássica do aumento de tesão.

Para ilustrar, imagine que você está naquela pegação violenta, de morder os beiços, chupar o pescoço, baba para todo lado, a jogando contra a parede. É o ápice da pegada.


Quando chegar nesse ponto, pare. Diga “ufa” ou algo semelhante, e vá pegar um copo de água gelada. Eu conheço um cara que chuta o balde totalmente e ao invés de água ele vai checar o email – hahaha. Não carece tanto.




 
Em geral, quando o cara faz isso com uma mulher com quem ainda está nos primeiros momentos de uma curtição (pré-namoro), a mulher fica encucada, confusa e puta da vida. Porra, vai parar na melhor hora? É quase igual aquela dor no saco quando a mulher está se agarrando com você e daí ela pede um minutinho para ir ao banheiro.

É exatamente esse vazio que você quer causar, por apenas alguns breves instantes. Pois quando ela se aproximar de você para ver o que está acontecendo, você retoma a putaria no estado máximo. Isso a surpreende e deixa doidinha. Lembre-se: sempre dois passos para frente e um para trás.

Um outro exemplo de antecipação é ao chupar seus peitos ou buceta. Ao invés de chegar desesperado lambendo igual gato esfomeado, dê apenas uma baforada quente, sem tocar. 


Crie a expectativa!

O Daniel Rose também fala da técnica do espaço aberto. Quando fizer o sexo oral na sua gata, use seus dedos indicador e médio para abrir a entrada da vagina. É outro modo de criar a expectativa.


Veja que, como toda técnica que inclui seus dedos em partes íntimas, é essencial ter as unhas muito curtas e as mãos SEMPRE limpas. Quando perceber que você está em um lugar com intimidade e que vai rolar alguma coisa, antes de começar qualquer coisa, dê um pulo no banheiro e lave as mãos muito bem. E se a toalha disponível estiver meio usada, é melhor deixar secar naturalmente.

Recomendo muito aos interessados no sexo de qualidade a procurar o material original do Daniel Rose, que tem muitas outras dicas. Uma delas é a metida curta: segure seu pinto com a mão de modo a apenas deixar a cabeça do pau para fora. Diga que ela é uma menininha e que não aguentará tudo, e então é apenas isso que ela vai receber.


Mande ela implorar por mais. Dessa vez, enfie um pouquinho a mais e continue dizendo que ela não vai aguentar tudo. Detalhe: se seu pinto é menor que a média (dizem aí que é quatorze centímetros), tenha noção que ao invés de dizer que ela “não vai aguentar”, diga que ela “não merece tudo”. Lá pelas tantas que ela estiver totalmente louca, daí sim você mete tudo e aguarda os gemidos de prazer.




Para casais que curtem coisas mais ousadas, você pode usar a idéia de provocar em qualquer situação. Quando estiverem os dois sentados ao lado em um local público, coloque uma mochila no colo, ou aproveite a mesa do restaurante e comece a acariciá-la. O "Sex God Method" vai ao limite e até conta casos de quem transou em lugares proibidos, como na cama de amigo puritano, cama dos pais da menina e até na igreja. Pessoalmente, eu acho que o Daniel Rose foi radical demais, mas cada um sabe o que faz.


Caso vocês transem em uma situação proibida dessas e depois voltem ao público, ele dá uma idéia que eu achei legal: você guarda a calcinha dela no bolso, e diz que ela não pode a colocar de volta. Durante toda a noite (ou dia?) ela estará com a sensação de estar sem a calcinha, continuando a idéia da perversão. Legal pra ser usado depois de uma pegação em banheiro de balada.


Uma explicação: antes de sair todo empolgado colocando essas idéias em prática, pense se as técnicas mais radicais têm a ver com você e sua menina, senão fica muito forçado e artificial. Na dúvida, a melhor coisa é ir leve e sempre prestando muita atenção no feedback dela.




Publicado em 4 de agosto de 2009 no site http://fromvictorwithlove.com 
(foi excluído do texto original o pseudônimo de um dos leitores de Victor Lee apenas por uma questão de sigilo)

Fotos: Capturadas na Internet